Bebidas dos Deuses

Como Montar Sua Adega em Casa

Como Montar Sua Adega em Casa

Para quem gosta de vinhos, montar uma adega pode ser uma grande diversão. No entanto, O ato de guardar garrafas de vinho em casa, independentemente da quantidade, é algo que requer certo planejamento. Se feito de forma bem pensada, mesmo uma adega básica pode ser de grande ajuda, tanto nos dias em que se precisa de um bom vinho para uma festa quanto para um jantar relaxante ao final do dia.

Quando olhamos fotos daquelas adegas enormes, com centenas – e às vezes milhares – de garrafas, até nos assustamos, mas a verdade é que não é preciso ter uma grande quantidade de vinhos estocados. Aliás, se você não é um consumidor frequente de vinhos, o melhor é realmente não ter muitos rótulos guardados.

As dicas de hoje são para você, que está pensando em montar sua própria adega em casa mas não sabe por onde começar. Depois que pegar a prática com o nosso passo a passo, é só seguir “completando a coleção” com os seus vinhos preferidos. Vamos começar:

1 – Avalie o seu consumo de vinhos

Antes de sair comprando, é importante que analise quantos vinhos consome por mês. Se você bebe uma garrafa por semana, não vai fazer muito sentido ter uma adega com 100 rótulos. Considere começar pequeno e depois ir aumentando de tamanho gradativamente. 

2 – Adega climatizada ou um espaço em casa?

Um local seco, fresco e sem ter luz do sol direta pode ser um bom cantinho para que você tenha seus vinhos armazenados. Você pode comprar aqueles nichos em lojas de decoração ou usar a sua criatividade, montando você mesmo. As adegas climatizadas são também ótimas opções, pois elas manterão seus vinhos na mesma temperatura constantemente. Talvez seja bom você avaliar antes quantos rótulos vai efetivamente guardar, afinal de contas, é um eletrodoméstico que ocupa um bom espaço e aí vale um planejamento mais detalhado para comprar a adega do tamanho certo.

3 – Como começar

Agora vamos para a parte mais interessante, que é a escolha dos vinhos. Considerando que a adega tem a função de lhe atender nos diversos momentos, seja acompanhando uma refeição ou em festas e confraternizações, que tal começar com 9 garrafas essenciais? Os vinhos que serão seus curingas nos momentos em que mais precisar. São eles:

1ª sugestão: um espumante brut

Um bom espumante brut por si só já é um curinga. Vai bem como welcome drink, com saladas, antepastos, queijos e até com carnes. Neste caso, vale lembrar que se você optar por guardar ele na sua adega (ou seja, fora da geladeira), terá que considerar pelo menos 90 minutos de refrigeração ou 30 minutos em um balde de gelo para que esteja na temperatura ideal para consumo

2ª sugestão: um  vinho branco

Os vinhos brancos acompanham culinária mais leve, como peixes e frutos do mar. Sabe aquela moqueca do final de semana? Vai muito bem com um branco. Ou então uma bela tábua de queijos para o happy hour? De novo, seu vinho branco vai lhe salvar. Uma boa opção inicial é ter um da uva Chardonnay, que tende a agradar mais paladares. 

3ª sugestão: um vinho tinto

Sua adega não pode ficar sem um vinho tinto. Neste caso, uma uva mais internacional, como a Cabernet Sauvignon ou a Merlot podem ser boas opções para combinar com uma gama maior de pratos. 

4ª sugestão: um  vinho rosé

Se você ainda não considerou ter um vinho rosé em sua adega, vale reconsiderar sua posição. Leve, aromático e com uma paleta de cores que brilham aos olhos, o vinho rosé é um super curinga, que harmoniza desde pratos leves, como salmão ou frango grelhados, e até mesmo frituras, como lula à dorê e mandioca aperitivo.

Experimente também começar a reunião com amigos abrindo uma garrafa de vinho rosé e verá que é sucesso garantido!

Você encontrará bons rosés vindos praticamente de todas as regiões e países produtores, mas algumas são mais famosas e com qualidade reconhecidamente elevada, como é o caso da Provence, na França. 

Por lá, a produção é praticamente toda de rosés, que são, em geral, delicados, leves, refrescantes e clarinhos, dando um charme especial a qualquer ocasião.

Agora, se você busca um rosé com um pouco mais de corpo e estrutura, precisa conhecer um belo rosé italiano, da Toscana, o Mazzei Belguardo Toscana IGT . Ele acompanha bem entradas, massas com molho vermelho e até mesmo pizzas.

5ª sugestão: um vinho de sobremesa

Terminar um almoço ou jantar com um doce ou um bolo é uma delícia, não é? E que tal ter um vinho para acompanhar esse momento? Os vinhos de sobremesa são excelentes para isso.

Existem vários tipo de vinhos de sobremesa, e cada um deles é feito de uma forma diferente. Os vinhos chamados Colheita Tardia (Late Harvest), por exemplo, são feitos com uvas muito maduras que, por conta disso, têm alto teor de açúcar.  A doçura natural do vinho harmonizará perfeitamente bem com o doce da sua sobremesa. O fechamento de ouro para seu jantar!

É importante perceber que alguns vinhos de sobremesa têm um teor de álcool mais alto. É por esta razão, inclusive, que se sugere degustar em taças menores, assim como fazemos com os licores.

A nossa indicação de vinho de sobremesa é o Morandé Late Harvest, feito com a uva Sauvignon Blanc, no Chile. Seus aromas e sabores que lembram mel, damasco e flor de laranjeira cairão muito bem com bolos brancos, doces em compota ou um mil folhas com creme de confeiteiro.

6ª sugestão: um vinho de guarda para uma ocasião especial

Agora que você já tem praticamente um vinho para cada situação do cotidiano, que tal ter também uma garrafa guardada para aquela ocasião especial? O aniversário de casamento, o nascimento de um filho, a ceia de Natal ou o brinde de comemoração de algo marcante são momentos que pedem vinhos à altura. 

Vale a pena separar um espaço em sua adega para um rótulo especial. Pode ser um vinho de alguma grande região como Bordeaux, Borgonha, Toscana, Vêneto, ou um vinho de guarda, que vai envelhecer conforme o tempo passa, atingindo uma qualidade superior.

Beber um Brunello di Montalcino com uma boa massa ao molho vermelho ou um Barolo com um risoto com trufas é sem dúvida uma grande experiência que merece ser vivida em momentos únicos.

Nossa sugestão para você começar a investir em grandes dvinhos é o italiano Ricossa Dolcetto D’Asti, um vinho italiano que combina bem com a culinária local, das massas às pizzas. 

7ª Sugestão: – Espumante Rosé

Se você já tem um espumante brut (branco) em sua adega, talvez esteja se perguntando o porquê de ter dois espumantes, sendo o segundo rosé. Bem, há sim algumas diferenças; vamos a elas:

O seu brut certamente será uma ótima companhia para um começo de festa ou reunião de amigos, acompanhar saladas e petiscos ou até mesmo para um brunch (fica a dica para um domingão diferente). 

Já o seu espumante rosé poderá também cumprir essas funções, mas como tem uma uva tinta na sua composição, ele poderá harmonizar com pratos mais encorpados, como uma massa com molho de tomates ou, acredite, com carnes em um churrasco.

Além de suas várias possibilidades na culinária, um belo espumante rosé, com sua cor clarinha e as bolhas subindo pela taça, é sem dúvida um espetáculo à parte que vai abrilhantar a sua festa.

E que tal um espumante brasileiro, feito por uma das vinícolas mais renomadas e premiadas do país? Nossa dica é o Victoria Geisse Extra Brut Vintage Rosé.

8ª sugestão – Vinho do Porto

Há muita tradição e história em torno do Vinho do Porto. Produzido na região do Douro, em Portugal, é um vinho fortificado, ou seja, antes de terminar o seu processo de vinificação, é inserido um pouco de aguardente vínica, uma espécie de cachaça de uva, para interromper a fermentação. Isso deixa o vinho mais alcoólico e bem doce – mas nada com que se preocupar, já que é uma doçura natural.

Para terminar uma refeição com uma tacinha, para acompanhar uma torta de chocolate, ou, como parceiro em uma roda de charutos, o Vinho do Porto é inigualável. Os mais acessíveis são os classificados como Tawny e Ruby, sendo o primeiro mais claro e com aromas e sabores mais amendoados e o segundo mais intenso, encorpado, com aromas lembrando frutas em calda e geleia. 

Ter um bom Porto vale a pena. É versátil e dá até para brindar um bom momento com ele. Que tal provar o Churchill’s Ruby Reserva?

9ª sugestão – Garrafa extra do vinho que mais consome

Todo mundo tem um tipo de vinho que prefere. A maioria é fã de tintos, mas muitos gostam mais de brancos ou espumantes. E essa é nossa dica final: tenha mais uma garrafa do tipo de vinho que você mais consome. 

Se é tinto, compre mais uma garrafa, que não necessariamente precisa ser do mesmo rótulo. Se você tem um Cabernet Sauvignon (que indicamos na primeira parte deste guia) guardado, que tal comprar também um Merlot? Se é dos brancos e já tem um Chardonnay, que tal um Sauvignon Blanc?

Agora, se você prefere os espumantes, vale a pena conhecer os que são feitos em outros países que têm se destacado nesta categoria. O Brasil é um deles, por exemplo.

Mas como sabemos que a uva Malbec tem muitos apreciadores, a chance de você gostar deste vinho é muito grande. Não só por sua qualidade, mas por sua versatilidade também, combinando com vários tipos de pratos, desde churrasco até uma carne ensopada com cogumelos, por exemplo.

Pronto! Agora você já tem 9 vinhos em sua adega e está preparado para praticamente todas as situações.  

Detalhes importantes

Por fim, lembre-se de alguns detalhes importantes:

– Deixe as garrafas deitadas, de preferência. O líquido, em contato com a rolha, a mantém vedada e evita a entrada de micropartículas de ar, que poderiam estragar seu vinho ao longo do tempo;

– Evite a luz. Não precisa deixar na escuridão completa, mas se possível, em um lugar onde não entre muita claridade e nunca em um ponto onde entre a luz do sol. Isso sim, pode estragar todos os seus vinhos;

– Reponha sempre que possível. Abriu o seu tinto? Aproveite aquele tempinho durante a semana ou o passeio no final de semana para comprar uma nova garrafa. Adega vazia não serve para muita coisa;

– Fique atento às promoções. Já que você vai comprar para estocar, fique ligado nas vendas com descontos, pois economizar é sempre bom. 

Para terminar, algumas dicas que podem ajudá-lo a manter sua adega sempre funcional:

Independentemente do tamanho dela, mantenha-a organizada e tenha um registro do que tem por lá. Assim você pode inclusive ir entendendo melhor o que mais gosta, o que mais consome e fazer melhores compras no futuro;

Lembre-se sempre de repor. Consumiu um, busque um outro para entrar no lugar vazio. Adega sem vinho não serve para muita coisa;

Mantenha os vinhos deitados e os espumantes em pé, com pouca iluminação e nunca em contato com o sol. Procure sempre um local que seja fresco e seco, mas que não tenha muita oscilação de temperatura. Eles gostam de ficar assim, sem muitas mudanças.

E por fim, faça da montagem da sua adega um momento de prazer. Comprar e guardar vinhos pode ser somente funcional, para atender os diversos momentos do seu dia a dia, mas pode também ser um ótimo hobby. Divirta-se!

Até a próxima e saúde!

<br />
<b>Warning</b>:  Trying to access array offset on value of type null in <b>/home/storage/4/1f/e3/bebidasdosdeuses1/public_html/bd.php</b> on line <b>292</b><br />
Fonte e Fotos: grandcru.com.br

Kits de Vinhos e Ofertas da Semana

Não há nada melhor do que ter a sua seleção de vinhos preferida. Seja para presentear seus amigos, aguçar o paladar ou abastecer sua adega. Toda semana a Wine lança OFERTAS EXCLUSIVAS para seus embaixadores. Confira a Lista e aproveite o FRETE GRÁTIS para todo o Brasil.

Vinho é sempre uma boa pedida, seja para tomar em boa companhia ou sozinha(o). Essa bebida cai bem em muitos momentos, climas e ocasiões.

details

Elis Salles

O que me move é a coragem de ouvir a minha alma! A palavra que me representa bem é empreendedora, atuamente estou administrando o Espaço Comercial Villa Medeiros com Salas Comerciais e Coworking, investindo no Refúgios no Interior de SP e uma das mais importantes: Embaixadora da Wine Vinhos . Algumas atividades agregam minha trajetória profissional como empresária no mercado imobiliário durante 15 anos (2005-2020), Corretora de Imóveis (Creci f-68203), Avaliadora de Imóveis (Cnai 22634), escritora, practitioner em pnl e webdesigner.

Tags
Compartilhar